terça-feira, 3 de março de 2009

Failure in the first kiss!

Safadões e Safadonas,

Voltando do trabalho mais cedo, sento numa cadeira do ônibus e logo depois ao meu lado senta uma menina que aparenta ter uns 13 anos e sua colega de igual idade. Assunto delas: Primeiro beijo!

Eu ainda passando mal por causa da maldita virose passo a escutar a conversa das duas. Ok, sei que é feio escutar conversa alheias mas o coletivo todo escutava. E o papo foi rendendo e Raissa cada vez mais concentrada não na conversa das gurias e sim nos meus pensamentos buscando as sensações do primeiro beijo contudo não foi isso que recordei, lembrei-me da tentativa do meu primeiro beijo e por MUITO pouco não consegui segurar a risada. Bom leitor, vou contar minha frustrada tentativa de primeiro beijo.

Tinha uns 14 anos (bem velhinha já que as meninas estão cada vez mais precoce) estava na casa da minha prima onde passava os finais de semana. Sempre gostei muito de lá, caí muito naquelas ruas andando de patins ou jogando bets mas isto não vem ao caso. Uma das minhas irmãs tinha arranjado um "paquerinha" por lá e graças esse menino passei um dos bons micos da minha adolescência. Este menino me apresentou um garoto que iria dar o tal do primeiro beijo. Lembro que estávamos numa pracinha e já era tarde e tínhamos que voltar pro apê da prima. Nisso subiu: minha irmã e o "paquerinha", eu e o garoto, minha prima e uma colega hiena (que ria pelo meu nervosismo já que sabiam que nunca tinha beijado). Ok, paramos na frente do apartamento. Minha irmã se atracou com o paquerinha e o guri me fazendo perguntas até que enfim ele diz:
- Raissa, quer ficar comigo?
eu: - Ah! eu sou tímida (tremendo até a alma)
E minha prima e sua amiga rindo MUITO alto atrás do "papo cabeça" e da minha preparação psicológica e física que consistia em: fazer biquinho, fechar os olhos e levantar o pézinho. Pô, gente! Sou romântica hahaha! Mas na hora H, aparece minha tia gritando no meio da rua.
- Suas sem vergonha, passa já pra dentro! E fez um grande barraco.
No primeiro grito da minha tia, abri os olhos e quando percebi o menino já tava na esquina (correndo sem nem olhar pra trás). O paquerinha da minha irmã virou Mister M e conseguiu a proeza de desaparecer em 3 segundos. Era véspera dos dias dos pais, minha tia falou que contaria ao meu pai (quase nada ciumento) das nossas presepadas. Pensa nas meninas que mal dormiram com medo e no outro dia adulando minha tia para que nada fosse dito.
Mas naquela noite antes de dormir minha prima disse:
- Relaxa Raissa, daqui uns dias iremos contar isso e morrer de rir. E foi verdade logo depois que a mesma prima casou contamos numa festa em família com direito a representação do meu pézinho levantado. Pensa numa família que riu? Pensa numa menina que foi zuada?

Olhando as meninas no coletivo conversando toda afobada sobre o primeiro beijo, pensei: mais importante do que o primeiro beijo foi essa minha tentativa frustrada.

Ah! O guri estudava na mesma escola que eu. Quando ele passava, eu olhava pra baixo de tanta vergonha.




$escutando=_NãoHá['SeuCuca'];
$lendo=_MeuFilhoChe['Ernesto Guevara Lynch']
$recomendo=_ConePizzaCarneSeca['Pizza Cone']


Mô doce meninos minitos,
inté amanhã!
Boa quarta!


Só mais um post=> B.A

2 comentários:

MarcoRosner disse...

ahhahahahahahah eu imaginei a cena! kkkkkkkkkkkkkkk =X É cada coisa que agente passa na vida hein! ahahahahah

=****

Ninha Costa disse...

kkkkkkkkkk EU tb imaginei a cena ..Mas acho q toda guria tem sua presepada no 1 ou quase 1 beijookkkk


Eu apssei por uams boas kkk se brinacar pior viu kk
Mas isso é appo pra pessoalmente


XEro